CONHEÇA NOSSAS CERVEJAS

Conheça nossas cervejas ............................ Tira dúvidas .. 1 .. 2 .. 3 .................... Adquira seu Equipamento ............................ Fórum

Como usar seu KEG .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 ............ Calcule seu Priming ................ Processo Cervejeiro .. 0 .. 1 .. 2 .. 3 .. 4 .. 5 .. 6 .. 7 .. 8

............................ Encomende seus Kits e Copos ............................

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Cerveja no Barril 4

Esgotando e enchendo

Ok, não foi fácil escrever este post, não necessariamente pelo assunto, mas pela falta de tempo, entretanto, para caminharmos mais um pouco nesse aprendizado, cá estou novamente com a quarta parte do capítulo “Cerveja no Barril”.

Recapitulando, vocês já sabem como sanitizar seu barril e devem estar de posse dos componentes mínimos necessários, portanto adotarei como premissa que vocês já leram os posts anteriores e estão com tudo em ordem.

Lembrando um pouco o post sobre priming (ver aqui), você deve considerar como base que sua cerveja deve possuir algo em torno de 0,9g/l de CO2 residual após a primária para sermos conservadores. No mesmo post você encontrará uma tabela de pressões gerais por grupo de estilo e também algumas calculadoras. Nesse post não sugiro que as use para ver a quantidade de açúcar para primimg, já que não faremos isso agora, mas para identificar a pressão recomendada para o estilo de cerveja que você estará carbonatando, se quiser seguir os parâmetros fornecidos, é claro.
A essa altura você está com seu barril limpo e sem nenhum resíduo de água, sanitizante ou qualquer outro em seu interior. Sua cerveja já deve ter maturado o tempo necessário (e/ou planejado por você), está decantada a seu gosto e refrigerada (de 0 a 2°C será ótimo), mas não custa nada colocar novamente o processo inteiro, certo? Certo!

Como provavelmente você não tem um sistema de enchimento industrial (como eu também não tenho) siga o seguinte procedimento:
1. Sanitize o barril (sugiro peracético, mas pode utilizar o que estiver acostumado);

2. Injete CO2 com o barril aberto até observar uma leve fumaça branca saindo de dentro dele (cuidado com o fluxo muito alto, sua mangueira pode ficar bem gelada e endurecer, mas não se assuste), isso é rápido, alguns segundos com 0,5kgf/cm² de pressão é mais do que suficiente;

3. Imediatamente após desligar o jato de CO2 passe sua cerveja maturada e decantada para o barril, faça a trasfega o mais rápido que puder, mas cuidado, esse "rápido" é o máximo de velocidade que você conseguir trasfegar SEM fazer revoluções com a cerveja dentro do barril, se aqui você provocar tumultos no líquido, ou espuma, esse fato aumenta a probabilidade de oxidação muito mais do que não esgotar o ar de dentro do barril;

4. Observe pelo menos 3cm de headspace (sabemos, de acordo com o Cerveja no Barril 3 que headspace é a distância que você deixará entre o topo do barril e o nível da cerveja lá dentro dele);

5. Dê mais um jato "spray" de CO2 ainda com a válvula aberta (não insira a mangueira no líquido);

6. Feche a válvula do barril (ela deve estar sanitizada) e aperte com sua chave apropriada;

7. Conecte a extratora;

"""ATENÇÃO"""
Certifique-se de que a saída da extratora esteja vedada. Nesse momento não vazará cerveja, pois não há pressão, mas você precisa fechar a saída para pressurizar e se não tiver uma tampa ou uma torneira/choppeira conectada à extratora o CO2 vai sair todo pela sonda.

8. Conecte a mangueira do cilindro de CO2 à extratora;

9. Pressurize com 0,5 kgf/cm² até equalizar;

Como saberei quando equalizou?

Em termos práticos você precisa ter uma boa audição. Hã? Como assim?

Mesmo que pareça engraçado falar que audição tem a ver com carbonatação, a questão é que você ouvirá o CO2 adentrando o barril e, quando esse ruído de fluxo cessar você terá equalizado, momentaneamente, a pressão interna do barril à do fluxo liberado pelo manômetro que está em 0,5Kgf/cm², no nosso caso;

10. OPCIONAL: se ainda estiver inseguro com o ar dentro do barril, abra levemente a válvula de alívio mantendo o CO2 em pelo menos 0,1kgf/cm². Deixe escoar o possível ar residual + CO2 por alguns segundos e feche a válvula.

Pois é, foi muito fácil não foi? Se fez tudo direitinho terá um barril cheio de cerveja, livre de O2 e pronto para a carbonatação que deve começar imediatamente.

Essa é a parte polêmica e cheia de folclores, por isso reforço mais uma vez: a idéia aqui é esclarecer as pessoas que precisam de informações detalhadas e confiáveis e não questionar outros métodos. O que escrevo é fruto de minhas pesquisas e testes, mas não objetivo apontar certos e errados, mesmo porque graças a Deus as coisas evoluem e vão se aprimorando com o passar do tempo. O que escrevo aqui são experiências práticas e concretas apoiadas por processos obtidos na literatura, muitas vezes versando sobre produção industrial, e que eu e o Riva adaptamos/utilizamos com sucesso em nossa produção caseira.

Isto posto, coloque seu barril novamente sob refrigeração (0-2°C será nossa referência para cálculo). Não coloque o cilindro dentro do freezer ou geladeira, pois o CO2 se comprime à medida que a temperatura baixa, logo a leitura de seu manômetro será afetada se o cilindro estiver gelado e você estará liberando uma pressão no mínimo equivocada. Não estou dizendo que não pode colocá-lo dentro da geladeira, mas não há nenhuma razão para isso, ademais, caso queira deixá-lo lá, observe corretamente a tabela de “temperatura x pressão” que encontrará no final da postagem e boa sorte, mas lembre-se de não dizer que isso foi indicado pelo Breja do Breda, minha recomendação é deixar o cilindro do lado de fora.

Carbonatando

Consideremos que o CO2 está conectado à sua extratora (lembrando que isto é uma sequência dos passos acima):

11. Verifique a pressão recomendada para o estilo de cerveja (é, tem isso sim, mas se não pretende seguir parâmetros de estilo, tudo bem), meça a temperatura da cerveja, defina a pressão de carbonatação e calibre o manômetro para carbonatar;

Como faço isso?? Vamos a um exemplo:

Suponha que você está iniciando a carbonatação de uma cerveja de trigo, vamos utilizar uma calculadora para facilitar, mas se quiser fazer na mão, no final colocarei os cálculos.

- Abra a calculadora (para acessar a calculadora, clique aqui!)
- Selecione na lista de estilos “weizen/weissbier”;
- Digite no campo a pressão desejada dentro do intervalo do estilo – em nosso exemplo 4.0 volumes de CO2;
- Selecione a opção “Kegging”;
- Digite a temperatura em que está a sua cerveja no barril (observe que não é a temperatura do cilindro de CO2, é a do barril!!!) em nosso exemplo 2,0°C.
"""ATENÇÃO""" 
Coloque 2C no campo para que o sistema entenda que você está inserindo os valores em sistema métrico;
- Pressione o botão “Calculate!”;
- Observe o resultado que no exemplo foi de 25,0 psi.


Logo, para ter uma carbonatação de 4,0 volumes de CO2 e ficar dentro do estilo desejado, você deverá regular seu manômetro da saída para 25,0 psi ou 1,76kgf/cm² (para converter psi e outras medidas clique aqui!), contudo não se esqueça de que sua cerveja tem algo em torno de 0,9g/l de CO2 residual, então, se convertermos g/l em volumes de CO2 você já terá algo em torno de 0,46 volumes de CO2 residual na sua cerveja.

Como sei que 0,9g/l é aproximadamente 0,46 volumes de CO2???

Usando a fórmula de conversão!!!!

Assim temos que:  d= (M*p)/(R*T)

onde:
 d = gramas/litro de CO2 residual
M = massa molecular do CO2 (que é 44)
 p = volume (é o que queremos saber)
 R = constante de conversão = .0821 (pois é, .0821 L atm/mol Kelvin)
 T = Temperatura em K (kelvin) Como 0°C = 273 K e temos cerveja a 2°C, seu “T” será 273 + 2 = 275 K

Legal hein??? Se achar alguma coisa em sistema métrico juro que coloco aqui...se souberem me avisem!

Substituindo (passo a passo como ensino matemática para minha filha), teremos:

0,9 = (44*p)/(0,0821*275)
0,9 = 44p/22,58
44p = 0,9*22,58
44p = 20,32
p= 20,32/44
p= 0,46 volumes

Como queremos no exemplo uma cerveja com 4,0 volumes, se descontarmos o residual, basta colocar na calculadora 3,54 ao invés de 4,0 (ver figura abaixo).


Nesse caso o valor será 20,4 psi o que convertendo para kgf/cm² resulta em 1,43. Agora você já pode decidir se usa 1,76 ou 1,43kgf/cm², a decisão é sua, mas também dependerá da precisão da escala do seu manômetro para poder regular com esses valores, mas fica a informação. No exemplo estamos “um grão de cevada” abaixo da carbonatação recomendada, mas isso não será perceptível, trust me, entretanto, se preferir, arredonde para 3,6 e recalcule. Teremos 21,0 psi ou 1,48kgf/cm².

Voltando à nossa sequência (já ajustado o manômetro):

12. Libere o fluxo de CO2 para o barril até que não ouça mais ruídos provenientes da entrada de gás (não há tempo determinado para isso);

13. Desconecte o CO2;

14. Desconecte a extratora;

15. Mantenha o barril refrigerado (0-2°C);

Repita a operação (passos 12 a 15) duas ou três vezes ao dia por três ou quatro dias. Como há variações de estilo e pressão de carbonatação escolhida esse ritual pode variar um pouco, mas nada de regras gerais de 24 horas ou vários dias com "x" quilos de pressão para qualquer cerveja e outros folclores (há livros que trazem esse procedimento), contudo, se você já adotou um processo como o “set and forget” e está feliz com os resultados mantenha sua prática, pois isso é o mais importante.

Após seguir esses passos, verifique se a cerveja está como você imaginava, mas tome cuidado ao extrair a bebida, pois temos uma pressão de carbonatação e uma pressão de extração.

O quê? Como assim?

Explico! Ao extrair a cerveja, mantenha o barril pressurizado! O maior erro dos usuários é extrair a cerveja com o CO2 fechado ou desconectado. Isso irá desequilibrar a bebida durante o consumo, afinal 10, 20, 30 ou 50 litros "nem sempre" acabam em 5 minutos e a pressão em que você deixou o barril não será suficiente para extrair toda a bebida lá de dentro. Assim, regule a pressão do cilindro, regule o fluxo de CO2 de sua torneira (caso ela tenha o ajuste para isso), procure manter a temperatura do barril estável e pode servir.

"""ATENÇÃO"""
O CO2 deve permanecer conectado por todo o tempo em que você estiver retirando cerveja.

Mas Breda, o que você diria sobre balançar o barril?

Balançar na verdade “data maxima venia” é um procedimento inadequado. Se fosse ideal as indústrias teriam um chacoalhador de barris pra agilizar. Brincadeiras à parte, o único diferencial (observe que nem julgo um benefício) que vejo em balançar, chacoalhar ou rolar o barril é acelerar a absorção do CO2 o que é impreciso e controverso em termos de mensuração da incorporação, mas não vem ao caso entrar nessa polêmica. Se você não “precisa” beber a cerveja no dia seguinte não faça isso, pois se o fizer não terá uma definição do “quanto” exatamente carbonatou sua cerveja e da próxima vez que precisar carbonatar será no chute, de novo. Se seguir os passos sugeridos acima terá um padrão e poderá proceder ajustes no SEU processo para deixar SUA cerveja no ponto adequado planejado por VOCÊ.

A diferença você sentirá quanto começar a envasar suas garrafas com um enchedor de contra fluxo, falarei sobre isso em um próximo post.

Use o chacoalhão como último recurso, caso tenha realmente muita pressa em beber sua cerveja, afinal você levou semanas cuidando dela com todo carinho e atenção aos detalhes e não vai querer diminuir sua qualidade pela pressa nem ficar com dores nos braços e nas costas no dia da sua degustação por ter balançado barris na noite anterior.

Ok, ainda há uma coisa a se considerar caso você precise ou queira deixar o barril fora da geladeira e utilizar uma choppeira.

Nesse caso, preste bastante atenção à relação “pressão x temperatura”, use a calculadora ou a tabela para verificar como estará a pressão no barril e capriche no gelo em sua choppeira (ou na temperatura se ela for elétrica). Mas no final das contas o tirador de cerveja é que tem a missão de regular o equipamento e extrair o néctar da forma mais adequada possível, isso não dá para ensinar escrevendo, tem que ser na prática mesmo.

Boa sorte a todos e se precisarem de mais detalhes fiquem à vontade para comentar aqui no blog, responderei a todos como de costume.

Ahh, não se esqueçam de me chamar para o churrasco!

Prosit!!!

Breda

31 comentários:

  1. Breda, parabéns pelo tratado sobre embarrilamento!

    Cara, estou em dívida com você... ando tão atarefado com prazos (seique vc sabe como é isso) que não tem sobrado tempo para separar as garrafinhas e embalar para te enviar. Espero conseguir fazer isso até fim da semana que vem.

    Uma dúvida quanto aos procedimentos: Como sanitizar completamente a extratora tendo 100% de certeza que não ficou nenhum resíduo???

    Saúde!!!!

    ResponderExcluir
  2. Valeu Marco.
    Quanto à dívida, não a considere como tal, entendo a correria perfeitamente. Espero que consiga cumprir esse novo prazo (brincadeira).
    Sobre 100% de certeza, sabe como é..., contudo, deixá-la no peracético por 15 minutos após uma boa lavada com atenção aos encaixes e vedações é suficiente.
    Aproveitando, ficou alguma pergunta sem resposta? Se ficou, diga lá.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  3. Breda, muito legal mesmo o post. Hoje chegou o equipamento em casa e vou tentar envasar a leva atual, que está fermentando. Você comentou que seria bom transferir a cerveja já maturada para o barril. Eu estava pensando em fazer diferente, transferir a cerveja do primário para o barril e deixar maturando no próprio barril por umas duas semanas e então carbonatar. Existe algum problema de deixar ela maturando no barril?

    Abraço
    Rafael Paulino

    ResponderExcluir
  4. Olá Rafael. Que bom que gostou da postagem, obrigado.
    Sobre sua pergunta, não que sejam grandes problemas, na verdade é ideal que a maturação seja feita antes, pois você terá uma decantação bem evidente nesse período, já que a temperatura estará entre 0-2°C, assim quando trasfegar para o barril terá uma cerveja bem mais límpida. Se você fizer a maturação no barril terá muito mais depósito e acabará por retirar uma cerveja bem mais turva e no início (nos primeiros copos) até com uma quantidade de fermento que prejudicará um pouco o sabor da sua bebida e também no final do barril perderá um quantidade maior de cerveja (que ficará barrenta). Tirando essa questão, o mais importante na maturação é a temperatura e o tempo, é claro.
    Continue postando suas dúvidas e divulgando nosso Blog.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  5. Breda, gostei muito dos seus posts sobre embarrilhamento. Fiz meu primeiro semana passada e ainda bem que lí eles antes.
    Valeu pelos esclarecimentos !!!
    Rogério - pxtocervejas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Uma pergunta: Dependendo do estilo da cerveja o site que vc citou recomenda uma pressão de carbonatação de 0,80 kgf/cm2 de C02. Você acha que é uma quantidade boa ? Pra quem gosta de cervejas com mais bolhinhas o que você recomenda ?
    Até mais.
    Rogério - pxtocervejas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Legal Rogério, muito bom ter esse feedback.
    Diga pros leitores qual foi a cerveja, quantos litros, quais dos procedimentos você já fez e como eles te ajudaram.
    Se puder enviar umas fotos da sua cerveja sendo retirada do barril após utilizar as dicas do Breja do Breda farei um post com elas.
    Mande as fotos para meu e-mail: mhbreda@hotmail.com
    Continue acessando, o próximo será sobre envase em garrafas com CO2.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  8. Rogério, os parâmetros levam em conta o estilo original, ou seja, como as cervejas são servidas e consumidas nos locais onde foram criadas. As baixas carbonatações são típicas das cervejas inglesas e elas são servidas assim mesmo, acredite, quase sem espuma e nada de bolhas brotando, mas nada impede você de fazer as suas com mais carbonatação. Experimente utilizar os parâmetros superiores das recomendações´, mas se mesmo assim achar pouco para o seu gosto aquando degustar a cerveja aumente da próxima vez.
    Minha sugestão, tente seguir os parâmetros, vale a pena.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  9. Olá Breda! Como já havia lhe falado escrito no e-mail, parabéns pelo Blog! Está ajudando muito! Vou aproveitar o comentário para tirar algumas duvidas basicas, mas que realmente não sei a resposta.
    - Quanto tempo dura uma cerveja carbonatada em um barril? Muitas vezes já escutei que a cerveja de barril tem uma validade muito curta por não ser pasteurizada... mas já li várias vezes que a cerveja artesanal, mesmo sem ser pasteurizada, tem uma durabilidade boa... Qual é a diferença e porque ela não tem essa validade tao limitada igual a uma cerveja comercial?
    - Como saber se uma cerveja está oxidada? Que sabor ela tem?
    Obrigado!!
    Abraço!!

    Raul

    ResponderExcluir
  10. Como vai Raul?
    Quanto tempo dura uma cerveja no barril? Realmente é uma pergunta cuja melhor resposta é DEPENDE.
    As cervejas industriais devem ser consumidas em até 20 dias da data de envase, mas geralmente 12 dias é o recomendado, contudo esse prazo vale para barris que ainda não foram abertos, mas depois de abertos, mesmo utilizando CO2 não posso afirmar quanto tempo duram em boas condições de consumo.
    Agora, se você utilizar uma bomba daquelas manuais que injetam "ar" no barril consuma toda a cerveja o mais rápido possível (no mesmo dia!!!), pois ela irá oxidar rapidamente.
    Falando de artesanais, posso falar por nossas experiências concretas, refrigerada e somente utilizando CO2 duram meses no barril. Logicamente várias coisas influenciarão nesse tempo, a temperatura, o tipo de cerveja, a quantidade de levedura que você acabou deixando na cerveja, a sanitização que você fez no barril, a forma como você manipula a extratora e a estabilidade da pressão, logo dificilmente alguém poderá te dizer o tempo de duração com precisão.
    Sobre a diferença entre validades podemos fazer muitas especulações, mas eu "Breda" apontaria um dado interessante e que muuuuita gente vai contradizer e questionar, mas eu e o Riva já vimos barris “em uso” pelas grandes e não gostamos do que tinha lá dentro... acho que você também não gostaria de ver o que está em contato com a cerveja nesses barris, pois eles nunca são abertos, a lavagem é feita por um processo automático que "garante" uma perfeita higienização, mas sabe como é, 100% só a morte...
    Como identificar uma cerveja oxidada? Você sentirá um sabor de ferrugem (algumas pessoas o percebem como sendo um gosto de sangue...??!!!) porém a percepção depende do grau de oxidação e do feeling do degustador. EM geral se você soltar o ar pelo nariz com a cerveja oxidada dentro da boca poderá sentir a oxidação. Outra forma é "esfregar" a língua entre os dentes após um gole da cerveja oxidada, mas reforço, isso são formas de sentir a oxidação moderada, caso ela seja muito leve você precisará mais de um sentido apurado do que de macetinhos.
    REFORÇANDO: isso são dicas que funcionam com muita gente, mas não quer dizer que funcionarão para você.
    A melhor coisa para identificar defeitos na cerveja é praticando degustações, lendo bastante e apurando os sentidos (olfato e paladar) para que sua "biblioteca pessoal" esteja sempre bem calibrada.
    Pratique.
    Prosit!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  11. Olá Breda, gostaria de fazer o priming no barril. Como vou saber quando atingiu a pressão desejada. Em garrafas eu uso um manometro em uma garrafa de teste. Obrigado. Alexandre.

    ResponderExcluir
  12. Tudo bem Alexandre?
    O ideal seria ter um manômetro no baarril também, contudo você pode usar o manômetro da garrafa como artifício e acompanhar por uma amostra o andamento da carbonatação. Se não houver nenhuma contaminação no envase, o barril se comportará da mesma forma que a garrafa, logo quando a carboonatação da garrafa com manômetro estiver OK a do barril também estará.
    Atente somente ao fato de que a pressão gerada no interior do barril não será suficiente para extrair toda a bebida posteriormente, ou seja, você precisará de um cilindro de CO2 para evitar a descarbonatação.
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Breda, de grande valia seu blog como sempre, esse bê-a-bá do KEG esta muito instrutivo. Tenho uma dúvida, gostaria de saber se podes me ajudar:
    - tu falou em cuidar a temperatura e usar a tabela para converter a pressão caso necessário, OK.
    - mas tem alguma influência eu carbonatar a uma tempertura e extrair com outra? A carbonatação esterá diferente?

    Aproveitando seu exemplo, digamos que carbonate a 2ºC e vá usar a chopeira, extraindo a 20ºC... para a correta carbonatação deveria extrair a 2ºC?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Cássio, obrigado pelo contato.Continue sempre acessando o Blog e divulgando para os amigos.
      O que ocorre com o CO2 na cerveja é a incorporação do gás ao líquido, essa incorporação se dá com mais eficiência a baixas temperaturas, portanto, carbonatar a bebida a 0°C ou 2°C é mais adequado. Após a incorporação, ou seja, após alguns dias sob pressão e a baixa temperatura o CO2 já estará solubilizado em sua cerveja que pode ser servida a temperatura que você desejar.
      Observe, porém que o fato de o barril estar a 20°C não será um problema se você utilizar uma choppeira, afinal a bebida será resfriada pela serpentina.
      Duas coisas que você deve ter atenção nesses casos:
      1. Observe a pressão interna que seu barril esta a 2°C e verifique se a 20°C a expansão do CO2 não superará a pressão máxima recomendada para o Barril, geralmente 3.0Kgf/cm2 (eles trazem essa marcação impressa no corpo);
      2. Não deixe seu barril sem resfriamento por muito tempo se não for consumir toda a cerveja, afinal nossas artesanais não são pasteurizadas e essa oscilação de temperatura prejudicará a qualidade da sua bebida.
      No mais, é só degustar a cerveja.
      Boa sorte.
      Saúde!!!
      Abs.,
      Breda

      Excluir
  14. Bruno Miguell Mesquita28 de dezembro de 2012 01:37

    Breda, obrigado pela Bíblia sobre o uso de KEGs.

    Estou fazendo como tu mostra nas instruções, ligando o CO2 umas 3 vezes por dia. Como saberei que a carbonatação está concluída? E depois disso, deixo uns dias o barril "descansando", ou já posso começar a tirar os chopps?

    E a pressão pra extrair a cerveja, em temperatura ambiente, usando uma chopeira, quanto tu sugere?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bruno, como vai? Obrigado pelo comentário.
      Feliz 2013!
      depois de algumas injeções você observará algum espumamento na retirada da válvula extratora, porém o ideal é ir retirando amostras paraobservar a evolução e o ponto em quea cervejaestá, seatedeseu desejo.
      Uma vez que esteja da forma que você deseja, carbonatada e com boa espuma, você já pode servir de imediato.
      A pressão de extração para choppeira depende de alguns fatores como o tipo de cerveja, o tipo de torneira, a distãncia do barril até a choppeira e até a altura da linha, mas de uma forma geral vocêque estará com o barril ao lado da choppeira, pode utilizar de 0,5 a 1,0 kgf/cm2 queserá suficiente.
      Forte abraço.
      Saúde!!!
      Breda

      Excluir
  15. Olá Breda, primeiramente agradeço pelo esclarecimento para minha dúvida no post sobre primming. Gostaria de te pedir uma explicação também sobre como faço para pressurizar o barril sem que a cerveja suba pela mangueira conectada a chopeira. Ou seja, quando abaixo a válvula extratora, a cerveja imediatamente sobe, não encontrei na extratora nenhuma vávula que interrompa esse fluxo. Sei que existe uma vedação específica, mas não consegui comprar. Tentei fechar com papel alumínio e barbante, mas eles não suportaram a pressão da cerveja. Então, toda vez que tenho que liberar o fluxo de CO2 para carbonatar, muita cerveja sobe pela mangueira e vai para a chopeira, a qual eu sou obrigado a descartar porque não esta carbonatada o suficiente ainda. Agradeço antecipadamente pelo novo esclarecimento. Abraços, Bernardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai Bernardo?
      Rapaz, você precisa de uma tampa para a extratora, normalmente o pessoal faz de teflon ou de latão. Assim não precisa encher a serpentina de cerveja sem necessidade.
      OK.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
    2. Oi Breda.
      Você sabe onde eu consigo essa tampa?
      Abs.

      Excluir
  16. Difícil achar, só serve pra cervejeiro, não tem uso comercial.
    Tem que mandar fazer. Qualquer torneiro mecânico faz.
    Leva a extratora pra ele que ele vê a rosca e faz em 5min.
    Abs.,
    Breda

    ResponderExcluir
  17. Olá,
    existe alguma proporção mínima para embarrilar?
    poderia colocar 20 litros em um barril de 50 litros, por exemplo?

    ResponderExcluir
  18. Como vai Ismael?
    Então, poder você pode sim, porém, não é o ideal.
    A melhor relação é deixar o barril com 10 a 15% de headspace, ou seja, um barril de 50L deve ter de 42 a 45 litros para uma carbonatação perfeita.
    Porém, você pode colocar menos, contudo a relação de vezes x pressão x tempo que indico aqui no blog não será a mesma. Você precisará descobrir uma relação para ter um bom resultado na carbonatação desse volume de 20L em um barril de 50L.
    Boa sorte e compartilhe aqui os resultados posteriormente.
    Saúde!!!
    Breda

    ResponderExcluir
  19. Breda tudo bem, parabens pelo Blog, estou montando uma microcervejaria no ES, e penso em carbonatar a cerveja no fermentador e depois mandar para o KEG, estou pensando em usar a valvula extratora para criar uma espécie de contra pressão assim como na garrafa, a ideia é mandar a cerveja pela saida do liquido e ir aliviando a pressão pela parte de gás. o que acha ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Felipe?
      É assim mesmo que se faz, essa válvula já existe.
      Me mande seu e-mail que lhe envio uma foto.
      Abs.,
      Breda

      Excluir
    2. Breda meu email -e fschwambar@gmail.com obrigado

      Excluir
    3. Oi Breda, muito bom o post, estou com a mesma ideia do Felipe, pode me mandar a foto também por e-mail? thaisfun@hotmail.com

      Excluir
  20. Boa noite Breda, primeiramente parabéns pelo blog!! Encontrei aqui muitas explicações que não vi em nenhum outro lugar (e olha que estou pesquisando bastate)

    Estou com uma dúvida que não encontrei resposta em nenhum lugar. Desculpe a ignorância, mas sou iniciante neste ramo de chopp, minha experiência é apenas teórica ainda rs

    Se o chopp está totalmente carbonatado e pronto para ser servido, qual a real necessidade do CO2 na retirada do chopp do barril? Poderia, por exemplo, desconsiderá-lo e retirar o chopp somente pela gravidade (no caso colocando o barril mais alto do que a torneira)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Durval, como vai?
      na verdade você até pode, porém, a pressão no barril com CO2 para extração é necessária por duas razões básicas:

      1. evitar a descarbonatação, pois a medida que o líquido sai haverá o aumento do espaço vazio dentro do barril, isso fará com que a pressão do barril diminua, assim o pelas leis da física, o líquido tenderá a perder CO2 para que a pressão se equalize, descarbonatando a cerveja.
      2. A pressão positiva de CO2 também visa mitigar o espiumamento da bebida ao ser extraída, um barril inicialmente a 1,5kgf tenderá a espumar muito se não tiver uma pressão de extração adequada, ou no seu caso, sem pressão para extração.

      Por último, mas não menos importante, a pressão do seu barril não será suficiente para extraír todo o líquido, lembrando que barris de chopp são compostos por um sifão, a cerveja é extráida por cima, mas vem a partir do fundo do barril.
      Pa extrair por gravidade vc terá que ter um barril com abertura inferior, é fazer isso é muito perigoso, pois pode gerar enfraquecimento do barril e acidentes.

      Conclusão, use uma extração padrão com pressao de CO2.

      Abs.,
      Breda

      Excluir
    2. Muito obrigado pela explicação Breda!! Dúvida finalmente esclarecida. Sucesso para vc!

      Excluir
  21. Breda parabéns pelo blog.
    Estou montando uma nano e tenho várias dúvidas. Já vi que estou pensando em fazer que é carbonatar natural após a fermentação e durante a maturação fechando o airlock do fermentador cônico. Qual a pressão média e em que tempo faço? Após carbonatar assim posso transferir para o barril e consumir com o processo normal de conectar o cilindro de co2 e ajustar a pressão de extração?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá César, como vai?
      Obrigado pelo contato.
      Essa informação é uma coisa que demanda consultoria, não é tão simples assim e não há uma regra a ser seguida.
      Podemos conversar mais detalhadamente se for do seu interesse.
      Meu e-mail: mhbreda@hotmail.com
      Forte braço.
      Breda

      Excluir

Muito obrigado por seu comentário! O Blog "Breja do Breda" é feito pensando em você!